Biografia

João Campos é licenciado em Design pela Universidade de Aveiro e pós-graduado em Marketing e Gestão de Marcas pelo ISCTE / Business School. Enquanto designer independente, colaborou com a Companhia Nacional de Bailado, desenhou embalagens para as farinhas Branca de Neve e desenvolveu a identidade visual de Guimarães 2012 — Capital Europeia da Cultura.


Em 2012, criou o Estúdio João Campos, onde assume uma abordagem integrada entre Marketing e Design, Criatividade e Estratégia. Nele, passou a colaborar também com marcas como os vinagres Cristal, o Teatro Nacional de São Carlos, a Imprensa Nacional-Casa da Moeda, os temperos Espiga, a Deloitte e o Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas.


Em paralelo ao Estúdio João Campos, encontra-se a desenvolver uma plataforma dedicada à estratégia, para colocar ao serviço das marcas as ideias expostas no livro seu primeiro livro a solo Marca Positiva (Influência, 2019).


Escreveu também sobre Branding e Branding Digital no livro Comunicação 2.0 — Como o Poder da Web Influencia Decisões e Desafia Modelos de Negócio (Actual Editora, 2014). Sobre o mesmo tema, dá aulas, desde 2014, na Pós-Graduação de Comunicação Estratégica Digital, do ISCSP-ULisboa.

Publicações

Marca Positiva

João Campos (Influência, 2019)

Será a felicidade dos consumidores o melhor caminho para as marcas?


Segundo Aristóteles, a felicidade é o bem supremo.
O derradeiro objectivo humano sobre o qual, consciente ou inconscientemente, todos orbitamos. Sabemos intuitivamente que desejamos viver bem e que essa procura guia, se não todas, a maioria das decisões que tomamos.

Este é o ponto de partida de Marca Positiva: provar que a felicidade dos consumidores é, de facto, o melhor caminho para as marcas. Se as marcas servem o público e o público procura ser feliz, as marcas não existem senão para fazerem as pessoas felizes.

Comunicação 2.0 — Como o Poder da Web Influencia Decisões e Desafia Modelos de Negócio

David Monteiro, Filipe Almeida e João Campos
(Actual Editora, 2014)

Quando falamos em mundo digital, corporizado na Web, falamos de uma plataforma poderosa que se diluiu no nosso quotidiano. Por isso, está na hora de encarar o ambiente digital como um espaço importante de gerir informação e conhecimento — pesquisáveis, agregados, analisados e distribuídos – que podem ser orientados para políticas e decisões estratégicas dentro de uma organização. Entenda a comunicação 2.0 como um novo instrumento para definir valores, promover relações, estabelecer novos canais, encontrar novos influenciadores e criar confiança. A forma como actuar hoje, pode muito bem ditar o sucesso ou o fracasso da sua empresa no futuro. Estes instrumentos 2.0, digamos assim, estão disponíveis. Com maior ou menor investimento, podem designar uma corrente de oportunidades, se bem aplicados, mas também convivem lado a lado com riscos, se mal orientados e compreendidos.